O comércio eletrônico vem crescendo de forma significativa nestes últimos anos no Brasil. O objetivo desta pesquisa foi definirmos quais riscos são hoje controlados, e qual o grau de importância do controle desses riscos. Ao final, emitimos uma série de recomendações para aqueles que trabalham com o comércio eletrônico ou que desejam empreender neste tipo de negócio e finalmente montamos uma proposta para hierarquização da gestão de risco em comércio eletrônico

Problema de Pesquisa: O comércio eletrônico está se tornando cada vez mais atraente para todo tipo de empreendedor representando um (novo) canal de negócios a ser explorado para muitos deles. A mídia (Jornais como O estado de São Paulo e a Folha, revistas como Exame e Isto é Negócios, as redes de televisão, Globo, Record, Bandeirantes e rádios como a CBN, Jovem Pan, etc.) vem alardeando os sucessos desse ramo de negócio e o crescimento sustentado do comércio eletrônico no Brasil (dentre estas, devemos destacar a revista PEGN, Pequenas Empresas grande negócios, que do ano de 2013 a 2015 publicou 310 reportagens sobre o comércio eletrônico em e mais de 370 vídeos sobre o assunto). Isto levou e continua levando inúmeros empresários e empresas a investir no comércio eletrônico. Uma vez realizado o investimento inicial, montada a loja virtual, o empreendedor ou empresário descobre que esse é um mercado específicos com suas regras, seus hábitos e seus costumes já arraigados entre seu público alvo. Um conhecimento mais profundo dos riscos envolvidos nessa atividade evitaria uma série de problemas futuros na administração dessas lojas virtuais. Mas, quais serão os riscos envolvidos nesta atividade? Como identificá-los para poder minimizá-los, ou torná-los aceitáveis, para fazer com que o investimento nesse tipo de atividade se torne aceitável. Este estudo visa a preencher esta lacuna contribuindo para o desenvolvimento econômico desta atividade empresarial.

Ano: 2016

Palavras Chaves: Administração Gestão de Risco Internet Comércio eletrônico

Autor(es): Eric Jacques Lucien Winandy, Fábio Lotti Oliva

Clique aqui e acesse este artigo completo